18 de novembro de 2011

Governador vistoria obras do Sistema Produtor João Leite


O governador Marconi Perillo vistoriou, na tarde de hoje, as obras do Sistema Produtor João Leite ETA - Estação de Tratamento de Água Governador Mauro Borges e as obras de proteção contra cargas perigosas em áreas próximas ao reservatório formado pela barragem do Ribeirão João Leite. Ao lado do presidente da Saneago, Nilson Freire, o governador ressaltou a relevância da obra para toda a população goiana.

“De dimensão gigantesca, é uma das obras mais importantes para a região Centro-Oeste, bem como para todo o País. Nós vamos dobrar a capacidade de abastecimento de água através do Sistema Produtor João Leite, garantindo até 2040 abastecimento para toda a população de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade e vários outros municípios da região metropolitana. É um investimento vultoso, que tem recursos do governo estadual, da Saneago, do PAC, do BNDES e da Caixa Econômica Federal, ou seja, é um esforço coletivo para que todas as pessoas que vivem na região metropolitana possam ter acesso a água potável”, destacou Marconi, que percorreu a pé diversos trechos da obra, além de sobrevoar todo o complexo de helicóptero.

Segundo o presidente da Saneago, o projeto de contenção contra cargas perigosas é pioneiro no Brasil, incluindo sinalização vertical e horizontal, além de barreiras eletrônicas de controle de velocidade nos pontos de contato da barragem com as BRs 060 e 153, no trecho que liga Goiânia a Anápolis.

São quatro quilômetros de obras que incluem também a construção de barreiras de concreto, dispositivos de drenagem e caixas de retenção de líquidos, tudo para evitar possíveis prejuízos causados por acidentes com veículos que transportam combustíveis, gás, agrotóxicos, materiais ácidos e outros produtos tóxicos.

Com entrega prevista para o dia 13 de setembro de 2012, data na qual a Saneago completa 45 anos de existência, o governador destacou o esforço dos trabalhadores da empresa na execução da obra. “É uma obra que tem contado com o empenho fantástico de todos os servidores da Saneago, comandados pelo nosso presidente Nilson e nossos diretores, e executada por uma das empresas de maior credibilidade no país que é a Emsa, juntamente com seus colaboradores”, finalizou.

O Sistema
O reservatório do João Leite tem uma área inundada de 1040 hectares, 75 quilômetros de perímetro e capacidade de armazenamento de água de 129 milhões de metros cúbicos. Abastecido pelo Ribeirão João Leite, o reservatório tem sua barragem construída junto ao Morro do Bálsamo, a poucos quilômetros de Goiânia.

O Sistema Produtor João Leite é composto, além da barragem e reservatório, pela ETA - Estação de Tratamento de Água com dois módulos de tratamento, onde são feitas a floculação, decantação e filtragem da água; tanque de contato para a adição de cloro; dois reservatórios de água (com capacidade de 20 mil metros cúbicos cada); casa de química, onde são armazenados os produtos e executadas a cloração e fluoretação da água. O sistema conta ainda com adutoras, estações elevatórias e redes de distribuição de água tratada.

As obras desta segunda etapa estão sendo realizadas pelo Consórcio Emsa/Etesco e são orçadas em R$ 200 milhões, com recursos do BNDES, Ministérios da Integração e das Cidades, Governo Estadual e Saneago.

Fonte: Goiás Agora