3 de julho de 2011

Goiás poderá ter novo polo industrial


Mariza Santana

Assim como o polo farmacêutico já é uma realidade, o Estado brevemente poderá consolidar um novo polo industrial, dessa vez de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. O Estado já conta com 105 plantas desse setor, sendo que a maior parte, cerca de 90, está concentrada em Aparecida de Goiânia. Agora, o anúncio do investimento de R$ 306 milhões por parte da Hypermarcas para a instalação de um complexo industrial de cosméticos em Senador Canedo, a Cosmed, vai fortalecer esse setor esse setor em Goiás. Isso acontece em um momento favorável, já que o consumo desses produtos tem sido crescente nos últimos anos.

A Abelha Rainha está há 20 anos no mercado, tem 350 funcionários e é a maior empresa do Estado na área da produção de cosméticos. São fabricados anualmente cerca de 16 milhões de itens. De acordo com o gerente comercial Antônio Crippa, as vendas da empresa são feitas de duas formas. Uma delas por meio de distribuidoras de todo o País, com boa parte da comercialização voltada para a Região Sudeste. Também utiliza o sistema porta-a-porta (conta com cerca de 200 mil revendedoras que atuam em Goiás, Minas Gerais, Tocantins e Distrito Federal). “Fomos a indústria pioneira em Goiás a vender para o Sudeste, conseguimos conquistar mercados considerados exigentes”, diz.

Crippa acredita que é possível consolidar um polo industrial de itens de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos em Goiás. Um dos fatores que contribui é o forte crescimento do mercado interno. O Brasil já é o terceiro maior mercado do mundo para esses produtos, perdendo apenas para o Japão e os Estados Unidos. O aumento da renda dos trabalhadores, o crescimento da classe C e o aumento da preocupação com a beleza são fatores influenciam a expansão do mercado interno. No caso de Goiás, avalia o gerente da Abelha Rainha, falta uma entidade que represente os interesses das indústrias do setor, já que as barreiras industriais são “terríveis”, reforça.

Unir forças
O diretor da Natucharm Indústria e Comércio Ltda, Cláudio Almeida da Silva, concorda que Goiás está prestes a consolidar um polo de produção de itens de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, com destaque para Aparecida de Goiânia. “Nós, que atuamos no município estamos perdendo tempo em não unir forças”, afirma. A Natucharm opera no mercado há 17 anos, tem 43 funcionários e produção anual de 2 milhões de itens, como perfumes, cosméticos, xampus e cremes hidratantes. Os produtos são destinados a mais de 1,2 mil distribuidoras espalhadas pelo Brasil.

O diretor administrativo da Cordial Cosméticos, Gleydson Lima dos Santos, também compartilha da opinião de que as indústrias do setor instaladas em Aparecida de Goiânia “são pouco vinculadas”, situação que precisa ser mudada para ampliar os investimentos em inovação, ciência e tecnologia, além do desenvolvimento de novos produtos para aumentar a presença no mercado interno e conquistar espaço no mercado externo.
A Cordial tem 24 funcionários e conta com uma linha completa de cosméticos (perfumes, cremes, xampus, sabonetes íntimos, entre outros). Tem produção mensal de mais de 200 mil itens, que são destinados a para distribuidoras que atuam nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste.

Fonte: Jornal o Hoje