22 de fevereiro de 2011

Sobe preço do metro quadrado na capital


An­dré Pas­sos

O me­tro qua­dra­do mais ca­ro em con­do­mí­nios ver­ti­cais re­si­den­ci­ais lan­ça­dos em Go­i­â­nia cus­ta R$ 3.980 e o mais ba­ra­to R$ 1.653. A va­lo­ri­za­ção mé­dia do me­tro qua­dra­do dos apar­ta­men­tos avan­çou 13,39% em dezembro sobre abril do ano passado. O índice supera a cor­re­ção do se­tor e a pou­pan­ça. Com is­so, o va­lor mé­dio do me­tro qua­dra­do foi de R$ 2.965,34, em 171 em­pre­en­di­men­tos pes­qui­sa­dos.

Os da­dos são da 31ª pes­qui­sa de pre­ços de imó­veis do Con­se­lho Re­gi­o­nal de Cor­re­to­res de Imó­veis (Cre­ci-GO), di­vul­ga­da on­tem, que levaram em conta o período de abril a dezembro de 2010. O levantamento aponta um em­pre­en­di­men­to no Cen­tro de Go­i­â­nia com o me­tro qua­dra­do mais ca­ro (R$ 3.980), com cem uni­da­des ainda em cons­tru­ção.

Apesar disso, o pre­si­den­te do Cre­ci-GO, Os­car Hu­go Mon­tei­ro Gui­ma­rã­es, res­sal­ta que a amos­tra da re­gi­ão cen­tral tem sua va­lo­ri­za­ção li­ga­da ao bair­ro vizi­nho, o Se­tor Oes­te, e por ficar próximo ao Bos­que dos Bu­ri­tis. “Na mé­dia o pre­ço do imó­vel do Cen­tro es­tá em tor­no de R$ 2,5 mil. En­tão, não há ten­dên­cia de va­lo­ri­za­ção da­que­la região”, ex­pli­ca Guima­rães.

O Se­tor Ma­ris­ta aparece em segundo lugar com o me­tro qua­dra­do do apar­ta­men­to mais caro de Goiânia (R$ 3.930), seguido pelo Se­tor Oes­te (R$ 3.818), Jar­dim Go­i­ás (3.663) e Se­tor Bu­e­no (R$ 3.452). O metro quadrado mais barato foi encontrado no Jar­dim No­vo Mun­do (R$ 1.653). Na sequência vêm os bairros So­lan­ge Park (R$ 1.811), Jar­dim Ipê (R$ 1.953) e Vi­la Ja­ra­guá (R$ 2.130).

Em re­la­ção às re­gi­ões de Goiânia, a sul con­ti­nua com a mé­dia de pre­ços mais al­ta (R$ 3.221). Em Cam­pi­nas e Cen­tro, o pre­ço mé­dio fi­ca em tor­no de R$ 2,5 mil, se­gui­dos pe­las re­gi­ões su­do­es­te (R$ 2.481), nor­te (R$ 2.134), Oes­te (R$ 1.811) e les­te (R$ 1.653).

Lan­ça­men­tos
Segundo o Creci-GO, fo­ram lan­ça­das 25.128 uni­da­des imo­bi­liá­rias novas (na planta) ou em cons­tru­ção em de­zem­bro do ano pas­sa­do, an­te 19.036 em abril de 2010. Isso significa um cres­ci­men­to de 32% no com­pa­ra­ti­vo.

A mai­or par­te dos lan­ça­men­tos na ca­pi­tal é de apar­ta­men­tos de três quar­tos (42,83%), se­gui­do pe­los de dois quar­tos (34,75%). Po­rém, com re­la­ção à elevação no nú­me­ro de lan­ça­men­tos, as uni­da­des de um quar­to ti­ve­ram mai­or ta­xa de cres­ci­men­to (156,56%), sal­tan­do de 389 pa­ra 998 uni­da­des lan­ça­das em de­zem­bro. Es­te for­ma­to re­pre­sen­ta ape­nas 3,97% dos em­pre­en­di­men­tos.

Das uni­da­des lan­ça­das no último mês de 2010, ape­nas 7.410 es­tão dis­po­ní­veis, nú­me­ro 72% mai­or que o en­con­tra­do em abril (4.298). A mai­or par­te de­las (3.100) é de dois quar­tos.

De acor­do com Guimarães, a de­man­da ain­da aque­ci­da nes­te início de ano vai con­tri­bu­ir pa­ra que o nú­me­ro de uni­da­des lan­ça­das se­ja ain­da mai­or em 2011, pu­xan­do pa­ra ci­ma tam­bém os pre­ços. “A as­cen­são vai con­ti­nu­ar, sen­do igual ou su­pe­ri­or aos nú­me­ros de 2010”, in­for­ma.

A pes­qui­sa do Cre­ci-GO também avaliou imóveis em Apa­re­ci­da de Goiânia. De abril pa­ra de­zem­bro de 2010, a va­lo­ri­za­ção foi de 12,21% e o va­lor mé­dio fi­cou em R$ 2.028 em no­ve em­pre­en­di­men­tos lan­ça­dos, somando 1.228 uni­da­des. Des­tas, res­tam ape­nas 161. Em abril, o pre­ço mé­dio por me­tro qua­dra­do era de R$ 1.808.

Fonte: Jornal o Hoje
Imagem: Autor desconhecido (Net)