23 de julho de 2014

Governo detalha novos investimentos na segurança pública


Serão aplicados cerca de R$ 140 milhões, até o fim do ano, em infraestrutura e equipamentos para as forças de segurança pública do Estado, conforme determinação do governador Marconi Perillo

Ogoverno de Goiás investirá pelo menos mais R$ 140 milhões, até o fim do ano, em infraestrutura e equipamentos para as forças de segurança pública do Estado. A autorização para a aplicação dos novos recursos foi assinada, na última segunda-feira, pelo governador Marconi Perillo, que despachou pessoalmente no gabinete do secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita. Na reunião, o governador também recebeu um balanço das ações recentes e o planejamento da SSPGO para até o final do ano.

Do total de recursos disponíveis, R$ 107 milhões serão investidos em obras e equipamentos (R$ 68 milhões são do governo do Estado e R$ 39 milhões oriundos de convênios com o governo federal). De acordo com o secretário Joaquim Mesquita, anualmente o governo estadual investe cerca de R$ 1,6 bilhão na segurança pública. “As coisas estão acontecendo, são vultosos os investimentos, a segurança púbica trabalha com investimento”, completou o governador.

Os recursos terão destinações diversas. Entre as obras, estão construções de estruturas da Polícia Científica e Centrais de Comando e Controle no Entorno do Distrito Federal além de novas bases para a Polícia Militar, por exemplo. Também serão adquiridos equipamentos para o Setor de Inteligência da SSP-GO, para a Polícia Técnico-Científica, 60 motocicletas para a Polícia Militar, 60 câmeras de videomonitoramento, entre outros.

Além dos R$ 107 milhões, outros R$ 33 milhões serão investidos, até o fim do ano, no Programa Goiás Biométrico. Os valores são fruto de financiamento da SSP-GO junto ao Banco do Brasil. A licitação foi realizada e a assinatura do contrato com a empresa vencedora deve ocorrer em até duas semanas.

De acordo com o chefe de gabinete da SSP-GO, Rogério Santana, o Goiás Biométrico permitirá a digitalização dos dados civis e criminais de todos os cidadãos goianos. Por meio do cadastramento de digitais, face e palma dos cidadãos será possível agilizar a emissão de documentos, controlar os cadastros de benefícios sociais e da folha de pagamento do Estado. A primeira via de uma carteira de identidade, por exemplo, poderá ser emitida em menos de uma semana.

Nos R$ 140 milhões não estão somados os recursos para renovação da frota da SSP-GO. Ainda em agosto, as forças policiais receberão 2.141 novos veículos. A novidade é que 643 veículos modelo Gol, hoje, utilizados pela PM, serão substituídos por modelos stationwagon (tipo Palio Weekend), já com habitáculo para presos.

Todas as viaturas serão monitoradas, permitindo à SSPGO acompanhar o posicionamento delas em tempo real. “Mesmo com aumento de 232 veículos em relação ao contrato atual e ao monitoramento integral, conseguimos economizar R$ 328 mil por mês”, explicou a superintendente de Gestão, Planejamento e Finanças, Luciana Daher.

Durante o expediente na SSPGO, o governador Marconi Perillo aproveitou para vistoriar as obras do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), cujo andamento está adiantado. Na edificação, que terá seis mil metros quadrados, serão concentradas atividades da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. No mesmo local funcionará a central, que reunirá em um mesmo ambiente as imagens das câmeras de segurança e o posicionamento das viaturas e dos presos que utilizam tornozeleiras eletrônicas.

O governador recebeu, ainda, um balanço das atividades recentes das forças que compõem a SSP-GO. Na área de Inteligência, informou o superintendente Marcelo Aires, foram investidos R$ 22 milhões com treinamento e equipamentos (inclusive a aquisição de um drone). Na Polícia Civil, o delegado-geral João Carlos Gorski anunciou que a Central de Flagrantes estará pronta até o fim do ano. O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbinger Júnior, relatou que a corporação construiu 12 novas unidades desde 2011.

Já o comandante-geral da PM, coronel Sílvio Benedito Alves, apresentou ao governador o programa de Policiamento de Quadrantes, que será implantado em Goiânia a partir da formatura dos 1.100 novos policiais militares que estão em treinamento na academia da corporação, previsto para setembro. Nessa modalidade de policiamento, os bairros da Capital foram divididos em áreas menores. Cada uma delas terá uma equipe responsável pelo policiamento diário.

“Será com esse trabalho, esse investimento e essa atuação que nós vamos reduzir os índices de homicídios e criminalidade que tanto incomodam a população.” Já o secretário Joaquim Mesquita enalteceu a importância da presença do governador na secretaria. “Foram decididos vários assuntos de muita importância. Os investimentos fazem parte do Programa Goiás Cidadão Seguro, que foi implantado há cerca de dois anos, e tenho a convicção de que já temos resultados e teremos ainda melhores”, disse.

Marconi acompanha diretamente ações no setor

O governador Marconi Perillo tem acompanhado diretamente o andamento das ações estratégicas no setor, especialmente aquelas voltadas à melhoria da gestão, que têm impacto direto no enfrentamento da violência. Assim que chegou ao pátio de Secretaria da Segurança Pública, o governador, acompanhado do secretário da área, Joaquim Mesquita, e do diretor-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski, vistoriou as obras de construção do Centro Integrado de Comunicação e Controle, que o governador chamou de “Centro de Inteligência”, onde se concentrará toda base operacional de dados estratégicos das polícias Militar e Civil de Goiás no combate à criminalidade.

Em seguida, no auditório da secretaria, ele acompanhou a apresentação de cada um dos projetos desenvolvidos pela pasta, inclusive para captação de recursos junto ao governado federal. De acordo os dados oficiais apresentados, de 2013 e 2014, foram captados R$ 56 milhões em verbas federais, entre recursos diretos da União e emendas parlamentares. Apesar dos números, o governador lembrou que ainda são tímidos, porque Goiás investe R$ 1,6 bilhão, por ano, em Segurança Pública. “Eu vou comprar essa briga”, disse, referindo-se à defesa que faz pela criação de um Fundo Nacional específico para a segurança pública.

Também foi apresentado ao governador, pela delegada Luciana Daher, o projeto de renovação da frota de viaturas, por meio de terceirização. Serão trocadas, até o final do ano, 2.141 viaturas, adaptadas segundo as exigências da Legislação Federal, tendo o bagageiro como cela ambulante.

Também estão sendo ampliados os investimentos de inteligência, com integração dos bancos de dados de todas as instituições que operam na segurança pública. Para isso, a Superintendência de Inteligência de Segurança Pública está investindo R$ 22 milhões no projeto. Um dos principais, chamado Goiás Biométrico, prevê a criação de um Cadastro Único de Biometria.

Foram apresentadas também as principais ações desenvolvidas pela Polícia Civil, Comando-Geral da PM e Corpo de Bombeiros. O comandante-geral da PM, coronel Sílvio Benedito, informou que, em breve, mais 500 policiais do Simve iniciarão suas atividades de praça e será lançado um programa de policiamento comunitário com ações porta a porta.

Ao final da visita, no gabinete do secretário Joaquim Mesquita, Marconi despachou com cada um dos representantes das instituições que atuam na área, com foco para destravar entraves burocráticos. “Saio daqui muito feliz. As coisas estão acontecendo e dentro de um amplo planejamento”, disse Marconi ao final da audiência.

Agenda administrativa do governador na Secretaria de Segurança Pública

Inspeção das obras do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Apresentação dos veículos adquiridos por meio do programa Crack é Possível Vencer, do governo federal. São dois microônibus que funcionarão como centrais móveis de monitoramento.

Apresentação dos investimentos no Entorno do Distrito Federal por meio do programa Brasil mais Seguro (R$ 39 milhões).

Apresentação do Plano de Renovação de Frota da SSP-GO.

Apresentação da estruturação da área de Inteligência da SSP-GO;

Apresentação do Gestão de Controle Operacional (Gescop).

Demonstração do aplicativo Inove x Goiás, que possibilitará ao usuário acompanhar em tempo real o deslocamento da viatura que atenderá sua ocorrência e, posteriormente, avaliar a prestação do serviço. (Interno)

Relatório/Balanço do Programa Dinheiro Direito nos Quartéis e Delegacias.

Apresentação do policiamento por Quadrantes.

Apresentação do programa Goiás Biométrico.

Apresentação da obra da Central de Flagrantes.

Apresentação de investimentos do Corpo de Bombeiros.

Assinatura de autorização para investimentos de R$ 168.511.251,82 na SSP-GO. Os recursos serão utilizados na aquisição de motocicletas para o Giro, mais 60 câmeras de videomonitoramento, equipamentos para a Polícia Científica, entre outros.

Fonte: DM (HELTON LENINE)


Prefeitura busca recurso para corredores


A Prefeitura de Goiânia começa ainda nesta semana a levar documentos e abrir o processo de financiamento junto a Caixa Econômica Federal para a execução de seis corredores preferenciais para o transporte coletivo da região metropolitana de Goiânia.

Os projetos apresentados pelo Paço foram aprovados pelo Ministério das Cidades, em portaria divulgada no início desta semana. As obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade. O investimento será de cerca de R$ 170 milhões.
A expectativa da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) é que as licitações para a execução dos corredores nas avenidas T-7, T-9, T-63, 85, Independência e 24 de Outubro sejam realizadas ainda neste semestre.

A primeira deve ser para a Avenida T-7. O dinheiro para as obras, provenientes da União, foi prometido pela presidente Dilma Rousseff (PT) em março deste ano, no mesmo pacote dos investimentos para as obras do BRT Norte-Sul. As obras dos corredores devem atingir cerca de 50 quilômetros e atender mais de 600 mil usuários por dia.

Fonte: Jornal O Popular


BRT e Macambira atrasados


Projeto de parque aguarda assinatura de contrato para ser retomado. Edital para BRT é modificado

As obras para a implantação do complexo de mobilidade denominado BRT (Bus Rapid Transit) e do Parque Macambira Anicuns - as duas principais obras da atual gestão da Prefeitura - ainda estão paradas e as definições para ambas não ocorrem antes do próximo mês. Em relação ao BRT, a data de abertura das propostas da licitação foi adiada para adequações não especificadas no edital, sem data confirmada. Sobre o parque, a Prefeitura aguarda a devolução do contrato assinado pelo consórcio vencedor da licitação para a execução dos três primeiros setores da obra até o final desta semana.

A licitação com relação à primeira etapa do projeto do parque foi vencida por um consórcio formado por três construtoras - Sobrado Construção, GAE Construção e Comércio e Elmo Engenharia - no dia 30 de março. Vai custar R$ 120 milhões. Na época, a Prefeitura informou que a documentação do consórcio seria analisada e habilitada em 10 dias e que 45 dias depois o contrato seria assinado. Entretanto, o contrato só foi encaminhado para assinatura das empresas no dia 25 de junho, quase 90 dias depois, com um mês de prazo para devolução. E até agora o documento continua com as empresas.

Coordenador da unidade executora do Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns (Puama), Nelcivone Soares de Melo afirma que tudo seguiu o prazo natural, mas que em todas as etapas os envolvidos finalizaram o que tinha de ser feito no último dia de prazo e que, por isso, ainda não houve a emissão da ordem de serviço. A primeira estimativa de Melo era de que esta emissão ocorresse na primeira semana deste mês, mas como não foi possível, a nova expectativa é para a primeira quinzena de agosto.

O POPULAR apurou que o Paço demorou cerca de três meses para encaminhar às empresas o contrato
porque negociava com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) as condições da contrapartida necessária para o financiamento. O Puama tem o BID como investidor e as garantias para receber o dinheiro são mais complexas, por se tratar de uma instituição internacional. A negociação não é confirmada pela Prefeitura, que alega que os termos já estavam acordados anteriormente e sendo cumpridos normalmente.

O diretor técnico da Sobrado Construção, Jadir Matsuy, afirma que o contrato será assinado amanhã e levado para o Paço. Uma das participantes do consórcio - a GAE Engenharia - é responsável pela construção dos viadutos sobre a Marginal Botafogo e negocia uma dívida da Prefeitura de R$ 6 milhões para finalizar o único trecho que falta ser liberado.

Outro problema que pode atrasar a emissão de ordens de serviço é a licença ambiental emitida pelo Agência Municipal de Meio Ambiente, que ainda não saiu e o Paço corre para obter o documento. Melo conta que quando receber o documento vai “colocá-lo debaixo do braço e buscar as assinaturas necessárias” para viabilizar o reinício das obras. O último a assinar será o prefeito Paulo Garcia (PT).

A obra total do parque é estimada em R$ 300 milhões e terá mais duas etapas. Tem cerca de 2% concluída, mesma situação que estava em 2012, quando a execução foi paralisada porque a Emsa Engenharia, que já havia recebido R$ 3,8 milhões pela obra, pediu um reajuste no valor, que não foi aceito.

MOBILIDADE

O presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL) da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Benjamin Kennedy Machado da Costa, responsável pelo processo licitatório para o BRT, na primeira semana de agosto deve-se ter uma definição sobre a data da abertura das propostas. Continuam na disputa o consórcio formado pelas construtoras Andrade Gutierrez e CCB, a construtora Queiroz Galvão e a Odebrecht. Apenas uma destas empresas terá a responsabilidade de fazer toda a obra em até quatro frentes de serviço no Eixo Norte-Sul de Goiânia.

Kennedy afirmou apenas que o edital precisou de adequações, sem especificar quais foram as necessidades para o adiamento da data da abertura de propostas. Em contrapartida, ele negou se tratar de um problema com relação ao dinheiro para iniciar a obra. Em maio, o Paço anunciou, junto com a Caixa Econômica Federal (CEF), o aporte de R$ 140 milhões do total de R$ 390 milhões do repasse da União para o início das obras do BRT. A Prefeitura necessita pagar um total de R$ 18 milhões de contrapartida ao valor total, além dos custos com as desapropriações.

A intenção, em maio, era obter este montante total, de cerca de R$ 34 milhões, em um financiamento bancário simples, sob a responsabilidade do próprio Paço. O Banco do Brasil seria responsável pela liberação deste dinheiro.

Ao mesmo tempo, a administração municipal já iniciaria as tratativas para a liberação do outro empréstimo junto à Caixa, cujo aporte seria de R$ 180 milhões. Segundo o presidente da CPL, o primeiro montante da Caixa já está confirmado.

Fonte: Jornal O Popular (Vandré Abreu)


Sem caminhões-pipas: Praças ficam só na seca


Sem caminhões-pipas, estes espaços públicos em Goiânia não estão sendo aguados

Além das falhas na coleta de lixo e no serviço de iluminação pública, a crise provocada com a falta de caminhões e veículos para realização de serviços públicos em Goiânia tem gerado mais um problema. Sem caminhões-pipas, praças e canteiros espalhados pela cidade estão com folhas secas, plantas morrendo e muita poeira.

O problema ocorre em praças que não têm hidrômetro e também em canteiros de avenidas que dependem desse tipo de veículos para fazer o aguamento de plantas e gramas. A Companhia Municipal de Urbanização (Comurg), que é responsável pelo trabalho, reconhece o problema e diz estar em busca de soluções.

O problema persiste graças ao impasse entre a Prefeitura de Goiânia e a empresa Ita, responsável pela locação de carros e caminhões para prestação de diversos serviços na capital e que negocia o recebimento de 11 faturas que estão em atraso desde junho do ano passado. “Não há nada a ser feito. Estou sendo otimista e aguardando o desfecho da negociação”, afirmou o presidente da Comurg, Ormando José Pires Júnior. No momento, a Comurg só conta um caminhão-pipa à disposição. Antes, com a situação normalizada, este número era 40 vezes maior.

Goiânia possui 1.600 praças, sendo que destas, 470 contam com hidrômetro. Sem o equipamento, as outras 1.130 praticamente não têm sido aguadas. A situação é agravada pelo período de seca, que até meados de setembro deve intensificar e só piorar os problemas nas praças, caso a situação não tenha solução rápida. A reportagem de O HOJE percorreu algumas praças da cidade e averiguou que esses espaços de lazer ao invés de local de descanso têm sido alvo só de reclamações por parte dos moradores.

Descaso

Na Rua C-109, esquina com a C-121, ao lado do Colégio Estadual José de Assis, no Jardim América, os moradores da região afirmam que não é de agora que o local sofre com o descaso. “O pessoal até limpa a praça, mas aqui nunca vi um caminhão aguando as plantas”, diz o aposentado Divino Antônio Monteiro, 77.

Segundo ele, depois da temporada de chuva, as vezes que as plantas foram aguadas foram os próprios moradores que realizaram o serviço.

Divino, que junto com o amigo, o aposentado João Rosa Mesquita, 72, costuma utilizar a praça para aproveitar a sombra e bater um papo, explica que, no ano passado, foram plantadas algumas mudas na praça, mas que não foram cuidadas posteriormente. “Eu e meu filho que mantemos isso aqui. Aguamos para não deixar as mudas morrerem”, conta Divino. No mesmo local ainda existe um pé de bananeira, que também não está em estado saudável. Algumas folhas verdes se mantêm, mas já é possível ver galhos secos caídos ao lado da frutífera.

Ainda no mesmo setor visitamos a praça que fica no cruzamento das ruas C-217 com a C-211. O local, além de não ser aguado, sofre com o abandono do poder público. Folhas secas das árvores maiores se acumulam por toda parte. E as flores em um dos canteiros já estão praticamente mortas. O segurança João de Souza, que trabalha em uma loja em frente à praça, conta que servidores da Comurg não passam pelo local há semanas.

O problema também é visível na Avenida PI-2, que dá acesso à Prefeitura de Goiânia, no Parque Lozandes. Várias flores já estão murchas e o terreno bastante seco, dando clara mostra de que, há dias, o local não recebe um pingo de água.

Fonte: Jornal O Hoje


22 de julho de 2014

Inscrição para seleção de funcionários do Hugo 2 está aberta


Estão abertas as inscrições  ao Processo de Seleção Pública para o provimento de vagas no quadro de pessoal do Hospital de Urgências de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira, o Hugo 2. A contratação é para funcionários de nível fundamental, médio e superior, em regime celetista. As inscrições vão até 27 de julho. São 2.363 vagas, com salários que vão de R$ 850,65 a R$ 6.623,73.

Após a leitura do edital, o candidato deve preencher o formulário de inscrição, pagar a taxa e imprimir o comprovante no site do Núcleo de Seleção, a partir de dois dias úteis depois da data de efetivação do pagamento. Serão realizadas prova objetiva e análise curricular. A publicação do resultado final está prevista para 5 de setembro deste ano. O edital com todas as informações, você encontra aqui.

Fonte: Goiás Agora
Foto: Hysuo Araki


Laboratório do Centro de Excelência tem 85% de obras concluídas


O Centro de Excelência está quase pronto para receber campeonatos e torneios. A Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) está construindo duas unidades no complexo esportivo. Uma é o Laboratório de Capacitação e Pesquisa, que já está com 85% dos serviços executados. O outro é o Estádio Olímpico, com 78% das obras concluídas. Ao todo são 33,6 mil metros quadrados de área construída, com investimento de R$ 46,2 milhões. Além de incentivar o esporte em Goiás, permitirá também o surgimento de novos talentos para representar o estado dentro e fora do País.

O Laboratório terá uma estrutura composta por térreo e mais quatro pavimentos. Contará com quatro quadras (futebol de salão, handebol, basquete e vôlei), biblioteca, 14 salas, academia, auditório, entre outros. Já o Estádio, que terá capacidade para 12 mil espectadores, contará com uma arena multiesportiva que abrigará todas as modalidades de esportes olímpicos, além de futebol profissional.  Localizado na Avenida Paranaíba, no Centro de Goiânia, as obras foram retomadas no segundo semestre de 2013.








Fonte: Goias Agora
Foto: Eduardo Ferreira



Anápolis pode sediar empresa norte-americana de biocombustível de algas


Secretário de Indústria e Comércio do Estado tratou do assunto com um dos executivos da companhia CCD Biofuels & Energy LLC em reunião nesta terça-feira

A infraestrutura anapolina pode trazer para terras goianas mais uma empresa internacional, dessa vez do ramo de produção de biocombustível, com expectativa de investimento de US$ 2,2 bilhões e criação de cerca de dois mil empregos diretos e indiretos. A possibilidade foi tratada durante rodada de negócios na manhã desta terça-feira (22/7) entre o secretário de Indústria e Comércio do Estado, William O ‘Dwyer, e o representante da fábrica norte-americada CCD Biofuels & Energy LLC, Kerry M. Colvin. A conversa girou em torno do projeto da usina de biocombustível originado de algas e de que forma se daria a atuação do governo goiano para facilitar a vinda do negócio. Nova conversa está prevista para ocorrer até o final deste mês.

O Jornal Opção adiantou o assunto em meados de maio último na coluna semanal Anápolis, quando o grupo enviou carta de intenção por meio do ex-embaixador da Suíça no Brasil, Juerg Leutert e entrou em contato com a equipe do governador Marconi Perillo para marcar uma reunião.

Citando o Porto Seco de Anápolis, o Aeroporto de Cargas e a Plataforma Multimodal como diferenciais atrativos da cidade, Kerry Colvin disse: “Aqui é o lugar que queremos instalar a nossa companhia.”

William O’Dwyer destacou ao executivo que o Estado está de portas abertas ao projeto da CCD Biofuels & Energy LLC e que cuidará de todas as questões técnicas para sua concretização, pois, conforme acentuou, este é “um projeto que vem agregar à economia” de Goiás.

A CCD Biofuels & Energy LLC, Kerry M tem sede na cidade de Houston, a mais populosa do Estado do Texas e a quarta maior população dos Estados Unidos. De acordo com o site do grupo, a companhia tem mais de 30 anos de experiência na área. “Nosso objetivo é auxiliar os clientes com as suas requisições de abastecimento, bem como ajudá-los com soluções diárias acerca de suas necessidades de biocombustível”.

Dentre os destaques comerciais do município está o Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), onde são abrigadas médias e grandes indústrias numa área de 1.700 hectares. Cerca de 100 empresas de médio e grande porte escolheram a localidade para se instalarem, com destaque às farmacêuticas. O município também é cortado pela Ferrovia Norte-Sul, cujo trecho que segue até Palmas, no Tocantins, foi inaugurado pela presidente Dilma Rousseff (PT) em 22 de maio, embora a expectativa de início das atividades seja para somente a partir de 2015. Vinte e quatro cidades goianas também são cortadas por este trecho, que tem 855 quilômetros.

Fonte: Jornal Opção


Aeroporto Executivo de Aparecida “Rosa dos Ventos” será construído sob novo conceito


O prefeito de Aparecida Maguito Vilela (PMDB) se reuniu na tarde desta terça-feira, 22, com o Diretor do Departamento de Outorgas da Secretaria de Aviação Civil, Ronei Saggioro Glsanzmann, em Brasília, para tratar de assuntos referentes à construção do Aeroporto Executivo de Aparecida “Rosa dos Ventos”. O objetivo da reunião foi rever o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental das Obras (EIA/RIMA) e outorgar um novo modelo de edificação do aeroporto. “Além de ter localização estratégica e privilegiada Aparecida está vivendo uma verdadeira revolução tecnológica e científica. A vinda do aeroporto vai trazer mais benefícios para o município, atrair empresas e movimentar o turismo de negócios”, destacou o peemedebista.

O empreendimento será construído pela iniciativa privada sob interesse da administração municipal. De acordo com o Secretário de Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia, Marcos Alberto Luiz Campos, o novo conceito de estruturação do aeroporto dará celeridade ao lançamento das obras. “Além de protocolarmos o requerimento de um novo conceito ao empreendimento também registramos o projeto definitivo do aeroporto. Tivemos uma aceitação muito positiva da Anac e isso nos permitirá lançar o empreendimento já no primeiro trimestre de 2015”, ressaltou o secretário.

O Aeroporto Executivo de Aparecida foi autorizado pela Associação Nacional de Aviação Civil (Anac) no ano passado. A partir daí, a prefeitura busca cumprir outras exigências, além do EIA/RIMA, como uso de solo e zoneamento urbano para que o projeto seja executado na prática. “Estamos cumprindo à risca cada determinação da Anac e tratando o projeto com responsabilidade e seriedade para que não haja suspensão em nenhum momento”, avaliou o prefeito.

ESTRUTURA – O projeto do Aeroporto Executivo tem sido acompanhado de perto pelo ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt de Oliveira, desde a proposta inicial em 2012, tendo sido bastante discutido principalmente do ponto de vista jurídico e técnico. A estrutura abrange um sítio portuário de 185 hectares (pista, hangares, parte logística) e está orçado em cerca de R$ 40 milhões.

O Aeroporto Executivo de Aparecida deverá contar com garagem que abrigará toda a frota goiana, de cerca de 1.500 aeronaves e considerada uma das quatro maiores do país em capacidade de manutenção, além de um parque de manutenção.

MINISTÉRIO DAS CIDADES – No final da tarde, o Secretário Nacional de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Julio Eduardo dos Santos, recebeu em seu gabinete o prefeito Maguito Vilela e a secretária de Projetos e Captação de Recursos, Valéria Pettersen. No Ministério das Cidades, Maguito solicitou a alteração de bairros a serem asfaltados em Aparecida, cuja rede de esgoto ainda não foi implantada. “A prefeitura fará o asfalto no Setor Veiga Jardim I [que ainda não tem esgoto] com recursos do Tesouro Municipal, aumentará o número de ruas a serem pavimentadas no Bairro Independência Mansões, incluindo agora o Park Haiala no cronograma de asfalto deste ano”, destacou Valéria.


Fonte: Rafael Ceciliano - Secom (Prefeitura de Aparecida)


21 de julho de 2014

Intenções de Voto: Marconi diminui diferença com relação a Iris na capital


Em pesquisa Instituto Fortiori/Jornal Opção, o governador lidera em todas as regiões do Estado, exceto em Goiânia, que tem preferência por Iris. No entanto, diferença entre os candidatos caiu 4% desde a última aferição

Apesar de estar à frente em seis regiões do Estado, o governador Marconi Perillo (PSDB) perde em intenções de voto na capital para o ex-prefeito Iris Rezende (PMDB), segundo dados da última pesquisa Instituto Fortiori/Jornal Opção. No entanto, os números, quando comparados com dados de junho, demonstram que o tucano tem diminuído a diferença em Goiânia. As aferições segmentam os índices entre capital, Região Central, Região Sul e Sudeste, Região Sudoeste, Região Norte e Nordeste, Região Norte e Região Noroeste.

No último mês o governador aparecia com 22% das intenções de voto da capital e seu principal adversário despontava com 41%. Em julho, Marconi subiu 3 pontos, aparecendo com 25%, enquanto Iris perdeu 1, e registra 40%.

Em junho, os demais candidatos listados detinham, juntos, 15% da predileção do eleitorado da capital. Vanderlan Cardoso (PSB) aparecia com 12% e Antônio Gomide (PT), 3%. 9% estavam indecisos e 13% anunciaram voto branco ou nulo.

Neste mês, com todas as candidaturas registradas, outros candidatos foram mencionados. Neste cenário, na capital, o pessebista tem 9%; o petista, 2%; e Marta Jane (PCB), 1%. Weslei Garcia (Psol) e Alexandre Magalhães (PSDC) não passaram de 1%. Indecisos somam 9%, enquanto 10% afirmam votar branco ou nulo.

A região do Estado em que Marconi aparece com maiores indicativos de voto é a Sul e Sudeste, onde conta com 50%. No mesmo local, Iris aparece com 24%; Vanderlan, 4%; Weslei Garcia e Gomide, 2% cada um; Alexandre Magalhães, menos de 1%; e Marta Jane, 0%. Indecisos, 7%; e nulo ou branco somam 10%.

Gomide obtém seu melhor índice na região central do Estado, onde fica localizada Anápolis, cidade que administrou e onde tem 92% de aprovação. Na pesquisa de intenção de votos, ele conta com 18%, contra 33% de Marconi e 26% de Iris. Vanderlan tem 9%; Weslei Garcia, menos de 1%; e Marta Jane e Alexandre Magalhães, 0%. São 6% de indecisos e 8% nulo e branco.

2º Turno

Marconi Perillo melhorou seus índices em Goiânia também no caso de um eventual segundo turno com Iris. Enquanto na pesquisa anterior o tucano detinha 27% da preferência e Iris contava com 52%; em julho o governador subiu seis pontos, para 33%, enquanto o peemedebista se manteve na mesma faixa. O resultado pode ser explicado pela queda no número de indecisos, que passou de 8% para 2%. Nulo e branco se mantiveram com 13%.

O governador se recuperou também na região central. Na aferição anterior, ele perdia de 42% a 45% para Iris; números que foram convertidos para 47% a 37% em prol do peessedebista. O tucano continua na frente em todas as demais regiões do Estado.

Na possibilidade de um segundo turno com Vanderlan Cardoso, o governador também perderia na capital. Apesar disso, os índices desse cenário também apresentam melhoras para o governador: de 35% a 37% em junho, para 41% a 42% neste mês. Indecisos caíram de 9% para 6%; e branco e nulo, de 19% para 11%. Marconi segue na frente em todas as outras regiões, especialmente Sul e Sudeste, com 63% da preferência contra 9% de Vanderlan. Indecisos são 9% e nulo e branco somam 20%.

Contra Gomide, Marconi se mantém à frente em todas as regiões, incluindo a central, ponto forte do petista. Nesse local, Marconi possui 46% contra 33% do Gomide. Na pesquisa anterior eram 48% contra 37%, o que revela avanço do ex-prefeito de Anápolis. Na capital, Marconi tem 50% contra 23% de Gomide; diferença maior que a registrada em junho, quando os números eram 42% contra 25%, respectivamente.

Rejeição e mudanças

Na capital, o governador também conseguiu melhores indicativos quanto à rejeição dos eleitores. Se em junho 41% dos goianiense declaravam não votar em Marconi em nenhuma possibilidade, neste mês são 39%. O ex-prefeito Iris Rezende tem 22% de rejeição, 3% maior que os 18% de junho. Gomide tem 19% de não aceitação em Goiânia; Marta Jane, 17%; Vanderlan, 11%; Weslei Garcia e Alexandre Magalhães, 10%. 15% dos consultados declararam não rejeitar nenhum e 2% disseram rejeitar todos.

O menor índice de rejeição de Marconi é no entorno do DF, com 15%. Ali, Iris tem 34%; Vanderlan, 31%; Gomide, 30%; Marta Jane, 18%; Weslei Garcia, 17%; e Alexandre Magalhães, 12%. 24% disseram não rejeitar ninguém, enquanto 5% rejeitam todos.

Neste mês foi incluída pela primeira vez a avaliação de qual seria o melhor candidato para fazer as mudanças que Goiás precisa. Nesse quesito, novamente, o governador perde para Iris Rezende na capital, mas desponta em todas as demais regiões.

São 25% para o tucano, contra 40% para o peemedebista em Goiânia.Vanderlan tem 1%; Marta Jane e Weslei Garcia, menos de 1% cada; e Alexandre Magalhães, 0%. 10% disseram não confiar em nenhum candidato para a tarefa, enquanto 12% não souberam responder.

O candidato tucano sai na frente, mais uma vez, na região Sul e Sudeste, onde 57% dos consultados afirmaram confiar nele para realizar as mudanças necessárias. 17% disseram confiar em Iris Rezende; 3% em Vanderlan Cardoso; 2% em Weslei Garcia; e menos de 1% em Gomide. Os demais aparecem com 0%. 2% apontaram acreditar que nenhum candidato está apto; enquanto 18% não souberam ou não responderam.

Fonte: Jornal Opção

Governo promete investir R$ 140 milhões em segurança até o fim do ano


A Secretaria da Segurança Pública de Goiás (SSPGO) anunciou nesta segunda-feira (21/7) que ao menos R$ 140 milhões serão investidos até o fim do ano em infraestrutura e equipamentos para as forças que compõem a pasta. A autorização foi assinada nesta pelo governador Marconi Perillo, que despachou pessoalmente no gabinete do secretário Joaquim Mesquita. Na oportunidade, foi apresentado ao governador um balanço das ações recentes e o planejamento da SSPGO para até o final do ano.

Do total de recursos disponíveis, R$ 107 serão investidos em obras e equipamentos (R$ 68 milhões são do governo do Estado e R$ 39 milhões oriundos de convênios com o governo federal). De acordo com o secretário Joaquim Mesquita, anualmente o governo estadual investe cerca de R$ 1,6 bilhão na Segurança Pública. “As coisas estão acontecendo, são vultosos os investimentos, a segurança púbica trabalha com investimento”, completou o governador Marconi Perillo.

Os recursos terão destinações diversas. Entre as obras, estão construções de estruturas da Polícia Científica e Centrais de Comando e Controle no Entorno do Distrito Federal além de novas bases para a Polícia Militar, por exemplo. Também serão adquiridos equipamentos para o setor de Inteligência da SSPGO, para a Polícia Técnico-Científica, 60 motocicletas para a Polícia Militar, 60 câmeras de videomonitoramento, entre outros.

Além dos R$ 107 milhões, outros R$ 33 milhões serão investidos até o fim do ano no Programa Goiás Biométrico. Os valores são fruto de financiamento da SSPGO junto ao Banco do Brasil. A licitação foi realizada e a assinatura do contrato com a empresa vencedora deve ocorrer em até duas semanas.

De acordo com o chefe de gabinete da SSPGO, Rogério Santana, o Goiás Biométrico permitirá a digitalização dos dados civis e criminais de todos os cidadãos goianos. Por meio do cadastramento de digitais, face e palma dos cidadãos será possível agilizar a emissão de documentos, controlar os cadastros de benefícios sociais e da folha de pagamento do Estado. A primeira via de uma carteira de identidade, por exemplo, poderá ser emitida em menos de uma semana.

Nos R$ 140 milhões não estão somados os recursos para renovação da frota da SSPGO. Ainda em agosto, as forças policiais receberão 2.141 novos veículos. A novidade é que 643 veículos modelo Gol hoje utilizados pela PM serão substituídos por modelos station wagon (tipo Palio Weekend), já com habitáculo para presos.

Todas as viaturas serão monitoradas, permitindo à SSPGO acompanhar o posicionamento delas em tempo real. “Mesmo com aumento de 232 veículos em relação ao contrato atual e ao monitoramento integral, conseguimos economizar R$ 328 mil por mês”, explicou a superintendente de Gestão, Planejamento e Finanças, Luciana Daher.

Durante o expediente na SSPGO, o governador Marconi Perillo aproveitou para vistoriar as obras do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), cujo andamento está adiantado. Na edificação, que terá 6 mil metros quadrados, serão concentradas atividades da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. No mesmo local funcionará a central, que reunirá em um mesmo ambiente as imagens das câmeras de segurança e o posicionamento das viaturas e dos presos que utilizam tornozeleiras eletrônicas.

O governador recebeu, ainda, um balanço das atividades recentes das forças que compõem a SSPGO. Na área de Inteligência, informou o superintendente Marcelo Aires, foram investidos R$ 22 milhões com treinamento e equipamentos (inclusive a aquisição de um drone). Na Polícia Civil, o delegado-geral João Carlos Gorski anunciou que a Central de Flagrantes estará pronta até o fim do ano. O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbinger Júnior, relatou que a corporação construiu 12 novas unidades desde 2011.

Já o comandante-geral da PM, coronel Sílvio Benedito Alves, apresentou ao governador o programa de Policiamento de Quadrantes, que será implantado em Goiânia a partir da formatura dos 1.100 novos policiais militares que estão em treinamento na Academia da corporação, previsto para setembro. Nessa modalidade de policiamento, os bairros da capital foram divididos em áreas menores. Cada uma delas terá uma equipe responsável pelo policiamento diário.

“Será com esse trabalho, esse investimento e essa atuação que nós vamos reduzir os índices de homicídios e criminalidade que tanto incomodam a população.” Já o secretário Joaquim Mesquita enalteceu a importância da presença do governador na Secretaria. “Foram decididos vários assuntos de muita importância. Os investimentos fazem parte do Programa Goiás Cidadão Seguro, que foi implantado há cerca de dois anos, e tenho a convicção de que já temos resultados e teremos ainda melhores”, disse.

Fonte: Portal 730
Foto: Lailson Damasio