29 de julho de 2014

Goianos agora podem fazer denúncia à Polícia Civil pelo WhatsApp


Aplicativo soma esforços para o auxilio da população na elucidação de crimes e prisão de foragidos

A partir desta terça-feira (29/7) a população goiana poderá fazer denúncias de crimes e suspeitas à Polícia Civil por meio do aplicativo para celulares WhatsApp, pelo número (62) 8533-0197. Além desta ferramenta, a instituição já disponibiliza o telefone 197 e o site da corporação (www.policiacivil.go.gov.br).

As informações repassadas aos policiais pelo WhatsApp, como ocorre com os outros meios de denúncia, passarão por análise prévia quanto à veracidade e teor do conteúdo para em seguida serem encaminhadas às delegacias especializadas ou distritos policiais.

O delegado-geral da PC, João Carlos Gorski, afirma que este aplicativo se destaca por ser de simples acesso, objetivo e prático de contato direto com o policial civil. “O telefone 197 tem sido um instrumento muito eficiente para a Polícia Civil na solução de crimes, prisão de foragidos da Justiça e outras práticas estampadas na lei como contravenção. Com o WhatsApp, acreditamos na mesma eficiência e confiabilidade da população em fazer a denúncia, certo da preservação da identidade do denunciante”, avalia.

Fonte: Jornal Opção


Candidatos a governador realizam primeiro debate das eleições 2014


Foi realizado na manhã desta segunda-feira (28), o primeiro debate da Rádio 730 com os candidatos ao governo de Goiás. Antônio Gomide (PT), Iris Rezende (PMDB), Vanderlan Cardoso (PSB), Alexandre Magalhães (PSDC) e Wesley Garcia (PSOL) questionaram e responderam sobre os principais temas que envolvem a administração pública do Estado. O governador e candidato a reeleição, Marconi Perillo (PSDB), e a candidata Marta Jane (PCB) não compareceram.

No primeiro bloco, os candidatos fizeram uma apresentação pessoal e suas respectivas intenções com a candidatura ao Palácio das Esmeraldas.

Ouça o áudio do primeiro bloco: Aqui

Nos três blocos seguintes, os candidatos fizeram perguntas aos concorrentes, com direito a uma réplica e uma tréplica, conforme determinado no regulamento do debate apresentado pela Rádio 730 e aprovado pelas assessorias dos concorrentes ao Poder Executivo de Goiás.

Ouça os três blocos, nos quais, os candidatos fizeram perguntas entre si: Aqui

Os candidatos debateram diversos temas nos microfones da Rádio 730. Confira o que cada um deles disse sobre os temas listados abaixo:

Segurança Pública

Antônio Gomide (PT)
- É preciso investir em segurança, combatendo o craque e as drogas, que fazem a sociedade refém da criminalidade.

Alexandre Magalhães (PSDC)
- A avaliação da Segurança Pública hoje é péssima. Calamitosa.
- Lugar de bandido na minha gestão será na cadeia. Bandido não entrará em Goiás, e aqueles que estão infiltrados aqui serão expulsos.
- Nós precisamos treinar mais o policial. Hoje, pega-se policiais que não tem a capacidade mínima, treina ele por três meses e coloca na rua. Nós vamos criar uma academia de gestor em segurança pública, que dará curso de dois a três anos.
- Goiás tem quatro cidades entre as mais perigosas do país. Outro problema é a insegurança na zona rural. O fazendeiro rural está abandonado tem medo de dormir sozinho na sua fazenda.
- Nós precisamos parar com os super presídios. Nós precisamos criar pequenos presídios em várias regiões.

Iris Rezende (PMDB)
A questão da segurança pública em Goiás é muito mais profunda que se imagina. Quando fui governador pela segunda vez, eu deixei o efetivo com 13 mil. Hoje, nós temos 11 com a população 40% maior.
- Eu sendo governador vou dobrar o efetivo da Polícia Militar.

Wesley Garcia (PSOL)
Wesley (Alexandre) - Nós vamos defender a PEC 51 de 2013, pela desmilitarização e unificação das polícias. Nós iremos dar aumento salarial e plano de cargos e salários a estes profissionais, mas vamos colocar o policiamento comunitário. A nossa visão não é violência combatendo violência. Quando se coloca uma polícia apenas repressiva, com o governador colocou no Entorno de Brasil, onde apenas batia em quem era negros, pobres e homossexuais. A polícia precisa ser educativa e preventiva, e não uma polícia que mata e executa.

Entorno do Distrito Federal

Vanderlan Cardoso (PSB)
- Nós vamos tratar o Entorno de Brasília como a região Metropolitana de Goiânia, ou seja, como uma região Metropolitana que é. Goiás tem um déficit de quase 4 mil leitos hospitalares. A maior concentração está naquela região, mais de 2 mil. É inadmissível chega rem Val Paraíso e não ter nenhum leito de UTI.
- Nós podemos fortalecer os polos tecnológicos e distritos industriais para que as pessoas firmem no município e não precisem sair de ônibus para trabalhar em Brasília. Nós temos uma rede férrea ali, que até hoje eu não entendo porque ela não foi utilizada para transportar pessoas.
- Eu não concordo com a criação do novo Estado. Se nós começarmos a separar de Goiás, as regiões menos desenvolvidas por falta de ação completa dos últimos governantes, Goiás vai ficar o quê? Nós temos que fazer o dever de casa naquela região.

Alexandre Magalhães (PSDC)
- A nossa proposta é polêmica, mas é necessária. Nós somos a favor de criar um novo Estado na região do Entorno. Quando se dividiu o Tocantins foi maravilhoso para os dois. Nós precisamos de estados menores, mais fáceis de administrar.

Wesley Garcia (PSOL)
- Nós vamos criar uma empresa pública de transporte para a região do Entorno.

Saúde

Iris Rezende (PMDB)
- Milhares e milhares de pessoas morrem a míngua Goiás afora por falta de hospitais regionais, por falta de médicos bem remunerados. Todas as cidades que passo, a maior reclamação é sobre a saúde. Vamos construir hospitais regionais. Vamos dar motivação aos trabalhadores.

Alexandre Magalhães (PSDC)
- Eu vou trabalhar por cinco tópicos na saúde: 1) criar uma atenção primária a saúde, com a medicina preventiva; 2) criar um centro de referência neuro-cardio-vascular; 3) criar um centro de referência de oncologia; 4) aumentar o número de leitos em Goiás, que está abaixo de dois leitos para cada mil habitantes, sendo que a OMS exige no mínimo três; 5) temos que criar um centro de referência de diagnósticos.
- A constituição federal estabelece um percentual a ser gasto na Saúde, e normalmente os administradores trabalham esses percentuais mais no papel, e a população não sente isto.

Antônio Gomide (PT)
- Eu não manterei as OS do que estão. De forma discriminada, como regra, é um absurdo no Estado de Goiás. Eu quero fortalecer o SUS. É ele que faz chegar a medicina preventiva a todas as cidades. Há 14 anos está sendo construído um resultado em Santo Antônio, no Entorno de Brasília, e não termina. Não é interesse do governador.

Wesley Garcia (PSOL) 
- Nós vamos romper os contratos com as OS. Nós não vamos admitir no governo de Goiás nenhum tipo de privatização. Nós vamos fortalecer SUS, reativando o laboratório do Iquego, por exemplo, para subsidiar remédio para a população.

Gestão

Antônio Gomide (PT)
- A situação da geração de energia em nosso Estado é crítica. É Caótica.
- O servidor público precisa de respeito do governador. Não podemos ser governador para atrair a confiança do servidor público, e é isto que nós temos visto no Estado. Muita conversa, muita promessa, muitos planos de carreiras, cargos e salários indo para a assembleia, mas depois nós não vimos o cumprimento disso.
- Esse governo atual gasta mais de R$ 500 milhões em propaganda para tentar suprir aquilo que não faz.

Vanderlan Cardoso (PSB)
- O que nós vemos no Estado de Goiás é o servidor desmotivado. Falta estrutura e motivação para o policial militar, civil e ao bombeiro. Os professores, o mínimo que poderia se garantir a eles são os direitos adquiridos, e titularidade é direito adquirido. Data base é o mínimo que pode garantir ao servidor, porque não repõe nem a inflação.
- É o modos operandi desse governo fazer benesses no último ano do mandato. Foi assim quando, ele entregou para o ex-governador Alcides. Porque não realizou todos estes planos que estão sendo aprovados no início do mandato? A conta vai ficar para o próximo governador pagar.
- Nós precisamos aumentar a auto-estima do servidor público. Um dos projetos que nós temos, que é o Reconhecer, é um programa de benefícios que visa reconhecer o trabalho do servidor. O que nós vemos hoje são pessoas crescendo por critérios políticos e por apadrinhamentos. E realizar o programa desafiar por meio da escola de governo, que existe, mas não está em prática.

Iris Rezende (PMDB)
- Eu vou valorizar o funcionário público em todas as áreas. Eu sempre fiz isto.
- Nós acabamos com a nomeação interina e instituímos o concurso público no Estado.
- Quando eu deixei a prefeitura de Goiânia, o funcionalismo da cidade alugou um prédio para apoiar a minha candidatura.

Educação

Alexandre Magalhães (PSDC)
- Nós temos que respeitar o percentual previsto pela constituição para a educação. Nós vamos implantar a educação de tempo integral no ensino fundamental. Nós vamos valorizar os mestres e professor. Nós vamos dar o incremento de 50% aos professores por exclusividade, que hoje só recebem 30%. Vamos fomentar parcerias com o Sesc, Senai, Senar.

Wesley Garcia (PSOL)
- O papel da UEG na formação dos nossos jogos é fundamental. Nós vamos criar um banco de inteligência a através dos mestres e doutores do Estado de Goiás. Nós iremos investir 5% do orçamento na UEG e 2% na Fapego.
- A dificuldade no acesso a UEG é de propósito. Desta forma, a população não tem condições de fazer as lutas sociais que tanto precisa.
- Nós vamos pagar 10% do PIB exclusivo a população. Nós vamos pagar a gratificação por exclusividade que foi cortada pelo atual governador. Nós vamos implantar a educação em tempo integral, mas não é essa que está sendo feita pelo governador. Nós vamos investir pesado na Fapego.

Alexandre Magalhães (PSDC)
- Nós vamos fortalecer a UEG. Vamos montar ações conjuntas com a UFG em cidades polos.
- Nós precisamos adotar medidas conjuntas e continuas com a polícia militar, polícia civil e bombeiros. Temos que usar apoio tecnológico de monitoramento. Temos que fazer um mapeamento do crime. Fazer um trabalho constante de inteligência. Vamos fazer um cumprimento de meta para as polícias igual tem no comércio. É preciso criar uma polícia comunitária com princípio de proximidade com o cidadão. Temos que aumentar os recursos da segurança pública, porque hoje Goiás gasta menos que o Tocantins e Roraima. Uma vergonha. Diminuir esta carga estressante da polícia. Vamos nomear secretário da área técnica.
- Nós não vamos nomear secretários para a educação que não seja servidor da pasta. É um absurdo nomear secretário que seja deputado para abrir vaga para outro.

Antônio Gomide (PT)
- A UEG precisa ter um olhar especial. Vários polos da UEG reduziram o número de alunos. A UEG não chega a Aragarças. Em Niquelândia, o prédio é pago pela prefeitura. Nós precisamos de um modelo de autonomia para a UEG.

Vanderlan Cardoso (PSB) 
- Ao longo dos anos, o que a gente tem observado é uma falta de compromisso com a segurança pública no Estado. O contingente de efetivos caiu pela metade. Serviço de inteligência das polícias foi desmontado. Nós temos percebido também que o governo de Goiás, por falta de gestão de planejamento, nós vimos viaturas sobrando nos pátios.
- É preciso fazer um resgate moral dos órgãos de segurança pública. Autonomia para de ações por parte das forças de segurança. Repressão a altura junto aos criminosos, construção de delegacia no interior e readequação estratégica das delegacias de polícia civil em Goiânia e região Metropolitana. Segurança tratada segundo critérios técnicos e não políticos. Deixar na nossa Segurança, pessoas competentes que entendem de segurança.
- Nós não podemos ser considerados mais o quarto pior Estado nos índices de segurança.

Infraestrutura

Antônio Gomide (PT) 
- Se tem algo que precisamos investir em Goiás é infraestrutura. Na área de mobilidade e logística, nós temos mais de 8 mil quilômetros de rodovias estaduais sem pavimentação. Nós temos um baixo índice de integração entre os modos de transporte. Essa integração é fundamental. Nós temos um crescimento centrado na região Central e na região Sudoeste.
- Nós precisamos governar com um olhar regional, criando condições para as vocações de cada região. Não adianta construir centro cultural se produtores de Goiás não tem oportunidade de fazer cultura. Não adianta construir o prédio. Não adianta construir o centro de excelência do esporte, se não tem um programa para colocar professores em quadras que estão abandonadas nas cidades.

Iris Rezende (PMDB) 
- Temos que pavimentar rodovias, temos que aplaudir a construção de ferrovia em nosso território, mas o ponto mais importante para tudo isso nós estamos perdendo, que é a Celg. Como promover o desenvolvimento de um Estado sem energia suficiente?
- O Estado de Goiás vai bem. O governo estadual está um fracasso. Se nós perdemos a Celg vamos presenciar uma paralisação total no crescimento. Nós precisamos continuar incentivando a produção, mas cuidar da Segurança Pública, que está um fracasso.
- Eu governei com prefeitos de todo Estado. Eu criei o governo itinerante, e assim, fica por dentro das principais necessidades de cada região. O que tem na região Nordeste e Norte de infraestrutura fui eu que fiz. Em quase todas as cidades, 70% do que existe em investimentos públicos fo feito em meus dois governos. Proposta bonita existe em qualquer balcão de escritório de planejamento, mas é preciso ver se o candidato tem competência para fazer.

Celg

Antonio Gomide (PT) 
- Nós precisamos governar com um olhar regional. Assim como este governo enfraqueceu e federalizou a Celg, também está no mesmo caminho a falência da Saneago. Em Goiânia, nós não temos 100% do abastecimento de água.
- Sendo governador eu quero dar transparências e fortalecer a Celg e a Saneago.
- Nós vamos fortalecer a Saneago. E você servidor da Saneago, pode ser terceza que nós vamos não vamos deixar privatizar a Saneago.

Vanderlan Cardoso (PSB) 
- O que se fez com a Celg esta tentando fazer com outras estatais.

Iris Rezende (PMDB) 
- Temos que pavimentar rodovias, temos que aplaudir a construção de ferrovia em nosso território, mas o ponto mais importante para tudo isso nós estamos perdendo, que é a Celg. Como promover o desenvolvimento de um Estado sem energia suficiente?

Economia

Wesley Garcia (PSOL) 
- Nós vamos taxar a progressividade nos impostos. Nós vamos cobrar muito mais dos megaempresários, dos latifundiários, das empreiteiras, em benefício de diminuir os juros dos pequenos e médios trabalhadores de Goiás. Em Alto Horizonte, nós temos uma das maiores rendas per capitas do país, mas em compensação, no entanto a cidade está abandonada.
- O governo do Estado tem mecanismo para levar desenvolvimento a qualquer região do Estado. Ele pode levar indústrias para a região de Brasília, região Nordeste, região Norte do Estado.

Antônio Gomide (PT) 
- Não adianta mais ter um governador que tenha ideias ou que faça um alinhamento que não seja com as cidades. Nós precisamos buscar soluções com prefeitos e prefeitas das cidades violentas soluções para os problemas. Nós precisamos fazer com que Goiás pode crescer e desenvolver economicamente, mas em todas as regiões. 90% dos municípios estão fora do eixo de desenvolvimento.

Pessoal

Wesley Garcia (PSOL) 
- A candidatura do PSOL e a minha, professor Wesley, é a única que de fato representa mudança, que representa uma candidatura legitima dos trabalhadores.
- A situação financeira é desastrosa.
- É a política das privatizações, e o governador Marconi Perillo e outros governador vem destruindo a coisa pública para justificar as privatizações. Nós vamos romper o contrato com as OS.

Vanderlan Cardoso (PSB) 
- Eu gosto de desafios. Senador Canedo era considerada dormitório, com falta de segurança, mas uma cidade rica, mas que a população na participava desta riqueza. E o Estado de Goiás hoje vive da mesma maneira que Senador Canedo em 2004. É um Estado rico, mas com uma desproporcionalidade entre as regiões.
- Há 18 meses eu estou elaborando um plano de metas, com o diagnóstico do Estado de Goiás, e o Estado pode mais.

Iris Rezende (PMDB) 
- Eu me joguei na política ainda jovem, e tenho a cada ano uma maior empolgação por participação na política. Na eleição passada por pouco eu não cheguei ao governo. Eu me candidatei porque eu sinto que a situação do governo de Goiás não permite a quem quer que seja o direito de ficar equidistante ou omisso neste momento. E eu entendo que a melhor participação minha seria me candidatar ao governo e resolver estes problemas que estão afligindo a população de Goiás.
- Recentemente um dos secretários do governo soltou sem sentir que a capacidade de endividamento do Estado é zero até o ano de 2020. Daí a preocupação de cada pessoa com o futuro. A economia do Estado vai bem graças a iniciativa privada. Mas o governo não corresponde.
Alexandre Magalhães - Eu sou tenho 47 anos, sou advogado e empresário e nunca fui político. Resolvi implantar uma mudança interna. Eu sempre critiquei os políticos, falei mal, mas nunca tive coragem de entrar na política. Mas agora eu tivesse essa atitude. Aí coloquei o meu nome a disposição do PSDC.

Antônio Gomide (PT)
- Eu tive a oportunidade de ser prefeito duas vezes em Anápolis. Essas vitórias só foram possíveis com uma administração séria, planejamento e uma equipe com muito trabalho. É com essa disposição que quero ser o próximo governador de Goiás. Temos hoje em Goiás, 16 anos com o mesmo grupo político. Nós precisamos olhar para frente, precisamos estar olhando para o futuro. Nome, com experiência administração. Projeto novo, com credibilidade. Temos orgulho do nosso Estado, mas não da política que comanda o Estado nestes últimos 16 anos.

Alexandre Magalhães (PSDC)
- Eu sou tenho 47 anos, sou advogado e empresário e nunca fui político. Resolvi implantar uma mudança interna. Eu sempre critiquei os políticos, falei mal, mas nunca tive coragem de entrar na política. Mas agora eu tivesse essa atitude. Aí coloquei o meu nome a disposição do PSDC.

Fonte: Portal 730


Credeq de Aparecida de Goiânia deve ser entregue em setembro


O Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq) de Aparecida de Goiânia está com 85% dos serviços executados. A estrutura contará com três núcleos de atendimento separados por faixa etária (infantil, adolescente e adulto), 12 leitos em cada núcleo, centro de atenção psicossocial, casa de desintoxicação, sala de reanimação e seis casas de acolhimento transitório com cultivo de hortas e outras atividades ocupacionais. A previsão é que o Credeq seja entregue em setembro próximo.

O complexo foi projetado para dar tratamento humanizado e de qualidade aos dependentes químicos e seus familiares. Toda concepção prevê extensa área verde, esportiva, e também áreas para lazer e recreação. Uma biblioteca e praças de convivência também serão montadas. Serão 10 mil metros quadrados de área construída, com valor investido de R$ 24.168.495,12.

Para o secretário da Saúde, Halim Girade, o Credeq pretende ser um modelo de resgate social para todo o País, e faz parte de uma Rede de Atenção a Saúde Mental, que passa pelos municípios, pela urgência e emergência. A unidade terá capacidade para realizar 2.142 consultas psiquiátricas, clínica geral e pediatria; e outros 10.920 atendimentos multidisciplinares mensalmente. Para internação, serão abertas 96 vagas voltadas para desintoxicação, com tempo de permanência de até 90 dias.

O Credeq de Aparecida de Goiânia será administrado pela Organização Social (OS) Associação Comunidade Luz da Vida. Com vigência de quatro anos, o contrato foi oficializado em junho deste ano. Outros quatro Credeqs estão sendo construídos pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) nos municípios de Morrinhos, Caldas Novas, Quirinópolis, e Goianésia. No total, são investidos mais de R$ 100 milhões nos cinco centros para tratamento de dependentes químicos.

Fotos: (Eduardo Ferreira)




















Fonte: Goiás Agora

Socorro médico e mecânico: Serviços previstos nas concessões das Rodovias começam a valer


Usuários do trecho goiano da BR-050 já podem solicitar socorro médico e mecânico e o mesmo serviço estará disponível na BR-153 e BR-060 a partir do dia 5 de setembro

Os motoristas e demais usuários da BR-050 – cujo trecho goiano vai de Cristalina até Cumari (na divisa com Minas Gerais) – já podem solicitar serviços gratuitos de socorro mecânico e médico, além de apoio na segurança das pistas, como desobstrução, apreensão de animais e combate a incêndios. O mesmo trabalho começará a ser feito também na BR-060/153, a partir de 5 de setembro, desde o Distrito Federal até Itumbiara.

O atendimento aos usuários faz parte do contrato das concessionárias responsáveis por administrar as estradas concedidas à iniciativa privada pelo governo federal. A MGO Rodovias, que cuida da BR-50, desde Cristalina até Delta (no limite entre Minas Gerais e São Paulo), já instalou nove Bases Operacionais (BSO) provisórias ao longo do percurso de mais de 430 quilômetros. Cinco estão em Goiás.

Cada unidade possui equipes e viaturas do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), disponíveis 24 horas por dia para atender as solicitações feitas pelos usuários da BR, que podem ser feitas pelo telefone 0800-940-0700. As BSOs definitivas ainda estão em construção e terão estacionamento, banheiros, fraldário, água potável, área de descanso e telefone público.

Já a Concebra, administrada pela concessionária Triunfo, responsável por quase 1,8 mil quilômetros das BRs 060/153/262 (que cortam o Distrito Federal e os Estados de Goiás e Minas Gerais), vai instalar oito SAUs em Goiás, distantes, em média, 50 quilômetros um do outro. Sete deles estão em cidades goianas, com disponibilidade de ambulância, guincho, caminhões de combate a incêndio e demais frota para inspeção.

Segundo a assessoria de imprensa da empresa, o atendimento será sem custos apenas nos primeiros meses, para incentivar os usuários a usarem os serviços e perceberem a importância do trabalho. Não foi revelada a data de início da cobrança.
Ambas as concessionárias dão andamento às obras de recuperação de suas respectivas rodovias, para a eliminação de problemas emergenciais. A roçagem da vegetação nas áreas adjacentes ao acostamento e canteiros centrais de pistas duplas já foi concluída na BR-050 e está sendo realizada nas demais. Também estão sendo colocadas defensas metálicas e placas de sinalização ao longo dos percursos.

PEDÁGIO

As seis praças de pedágio que serão instaladas nos trechos goianos das BRs 050, 060 e 153 administrados pelas duas empresas só iniciarão a cobrança das tarifas no ano que vem, segundo informações de suas respectivas assessorias de imprensa. Conforme as regras estabelecidas no contrato de concessão, a quantia só poderá ser exigida dos usuários quando 10% das obras de duplicação estiverem concluídas.

Dois postos serão instalados na BR-050 em Goiás, nas cidades de Ipameri e Campo Alegre. O valor estabelecido na época da concessão foi de R$ 4,53 a cada 100 quilômetros. Já no trecho da BRs 060/153 que corta o Estado, serão quatro praças de pedágio, em Alexânia, Goianápolis, Piracanjuba e Itumbiara, com tarifa entre R$ 2,80 e R$ 3 por 100 quilômetros.
Os contratos com as concessionárias têm duração de 30 anos e preveem o direito de exploração da infraestrutura da rodovia, com a responsabilidade de fazer a recuperação, operação, manutenção, implantação de melhorias e ampliação de capacidade. As concessões fazem parte do Programa de Investimentos em Logística (PIL), criado pelo governo federal em 2012.

Fonte: Jornal O Popular (Lídia Borges)


28 de julho de 2014

Governador Marconi Perillo rebate críticas da oposição goiana sobre empréstimos feitos em sua gestão


“Ninguém empresta dinheiro e realiza operação de crédito com quem não tenha lastro e condições de pagar”, disse o governador

“Faltam detalhes para a assinatura do acordo entre o governo estadual e governo federal que resultará na federalização da Celg”, foi o que afirmou o governador Marconi Perillo (PSDB) após a solenidade da transferência simbólica da capital do Estado para a cidade de Goiás nesse sábado (27/7). Na semana passada o governador se reuniu com a presidente Dilma Rousseff (PT) em Brasília para firmar detalhes.  “Se tudo correr bem, é possível que na próxima semana o acordo seja assinado”, disse o tucano.

Ainda na antiga cidade de Vila Boa, o governador rebateu críticas da oposição em relação aos empréstimos captados pelo Governo do Estado. “Ninguém empresta dinheiro e realiza operação de crédito com quem não tenha lastro e condições de pagar. Fizemos um rigoroso ajuste fiscal, equilibramos as contas e hoje somos um dos Estados mais reconhecidos na sua capacidade de pagamento e de honrar seus compromissos. Durante os meus dois primeiros mandatos, paguei mais de R$ 10 bilhões em dívidas dos outros governos e não pudemos realizar todas as obras de infraestrutura que o Estado precisava”, disse.

Marconi Perillo, que tenta a reeleição em outubro, chamou a atitude dos adversários de “cantilena”, que tentam justificar “suas incapacidades” nas gestões anteriores. “O que percebo é que eles não gostariam que nós estivéssemos realizando tantas obras, tantos investimentos, modernizando definitivamente a nossa infraestrutura”.

Durante passagem pela antiga capital do Estado, o governador, juntamente com aliados políticos, lamentou “que algumas pessoas não reconheçam o esforço e o trabalho” feitos em seu mandato. “Eu sou candidato para continuar esses investimentos e para honrar todos esses compromissos”, finalizou.

Fonte: Jornal Opção


CMTC está proibida de multar empresas de ônibus em caso de atrasos nas linhas


Decisão liminar se estende até que seja melhorada a infraestrutura do trânsito de Goiânia

Por decisão liminar do juiz substituto em segundo grau Wilson Safatle Faiad a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) encontra-se impedida de lavrar novas multas por descumprimento de horários das viagens em desfavor das empresas de ônibus que mantêm o transporte coletivo de Goiânia e Região Metropolitana. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (28/7) no site do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) e vale enquanto não forem feitas obras que melhorem a infraestrutura do trânsito na capital. Neste interim, a fiscalização continuará sendo feito normalmente no que se refere à quantidade de viagens e frota usada para atender à demanda, cabendo à companhia lavrar multas.

O magistrado ressaltou na decisão que o mérito será analisado futuramente, após a instrução do recurso, “onde, num juízo mais aprofundado, possa-se alcançar um veredicto seguro e definitivo”.

As empresas beneficiadas com a decisão são: Rápido Araguaia, HP, Viação Reunidas e a Cooperativa de Transporte do Estado de Goiás, que haviam ajuizado ação em que pleitearam tutela antecipada para suspender as multas sobre atrasos nas linhas sob argumento de que os atrasos estão relacionados a fatores externos à conduta do motorista, como trânsito lento, congestionamento, dentre outros. Em primeiro grau, a 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal de Goiânia se manifestou favorável, mas a CMTC entrou com recurso na segunda instância, o que não foi acatado pelo juiz.

Fonte: Jornal Opção (Ketllyn Fernandes)


Concurso: Goiás tem 177 oportunidades


A Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior de Mineiros (Fimes), em Goiás, abriu edital de concurso público com 20 vagas em dois cargos de nível médio, sendo 5 vagas para agente de atendimento e 15 vagas para agente de serviço administrativo.

As inscrições, cuja taxa é de R$ 70, estarão disponíveis das 7h de 11 de agosto até às 20h de 29 de agosto, e poderão ser feitas no site www.unifimes.edu.br

As provas serão aplicadas em dia, horário e local a serem oportunamente divulgados pela Fundação de ensino.


Indiara

A Prefeitura de Indiara lançou edital com 64 vagas para candidatos de nível fundamental, médio e superior, com salários que vão de R$ 724 a R$ 1.458 e por carga horária de 30 a 40 por semana.

As oportunidades são para auxiliar de serviços gerais, auxiliar de secretaria, motorista II, monitor, operador de computador, professor PII – pedagogia, psicólogo e nutricionista.

As inscrições custam entre R$ 50, R$ 60 e R$ 90 e podem ser feitas a partir de 1º até dia 22 de agosto nos sites itame.com.br e indiara.go.gov.br. A aplicação das provas objetivas está prevista para dia 27 de setembro.

Os candidatos aos cargos de serviços gerais deverão passar por teste de aptidão física. Os candidatos ao cargo de professor II (pedagogia) aprovados nas provas objetivas farão prova de redação na segunda etapa do certame.

Serão reservadas 5% das vagas para portadores de necessidades especiais. O gabarito com os resultados da prova objetiva está previsto para ser divulgado no dia 29 de setembro.

Abadia de Goiás

A Prefeitura de Abadia de Goiás lançou edital de concurso. O certame propõe 93 vagas para candidatos de todos os níveis de escolaridade, com salários que vão de R$ 733,25 a R$ 2.500,00. A organizadora responsável é a Torres Advogados Associados Ltda.

As oportunidades são para auxiliar de serviços gerais, gari, motorista, pedreiro, vigilante, agente de endemias, agente de saúde, auxiliar administrativo, técnico em enfermagem, técnico em radiologia, biólogo, enfermeiro, professor, entre outros.

As inscrições devem ser realizadas, de 18 de agosto a 5 de setembro, através do site www.torresadvogadosassociados.com.br ou solicitado no local das inscrições, das 8 às 11 horas e das 13 às 17 horas, na Prefeitura de Abadia de Goiás – Avenida Francisco de Paiva Silva, s/n – APM – Jardim Nova Abadia. As taxa de inscrição vão de R$ 20 a R$ 75.

As provas teóricas e específicas, provavelmente serão aplicadas dia 19 de outubro. Haverá prova de títulos para todos os cargos de Nível Superior.

O prazo de validade do concurso será de 2 anos, podendo ser prorrogado por igual período, contado da data de sua publicação e da homologação e, a critério da Administração Municipal.

Fonte: Jornal O Hoje


Elaboração de projeto do BRT Norte-Sul é prorrogada


A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) prorrogou por mais um ano a finalização do Projeto Executivo do Corredor BRT Norte-Sul. O contrato sofreu aditivo e a empresa contratada tem novo prazo de um ano para entrega do projeto, ao custo de pouco mais de R$ 5 milhões. O vencimento começará a ser contado a partir do dia 1º de agosto, próxima sexta-feira. A licitação para a escolha da empresa responsável pela construção da obra estava marcada para o dia 9 deste mês, mas foi adiada quatro dias antes pela Comissão Permanente de Licitação da CMTC, sem previsão de nova data.

A coluna Xadrez tentou contato com o coordenador do Grupo Executivo do BRT, Ubirajara Abud (foto), mas não obteve resposta até o fechamento. O projeto tem previsão de corredor exclusivo com 26 quilômetros de extensão, tendo início no Terminal Cruzeiro do Sul até o Terminal Recanto do Bosque, na região noroeste de Goiânia. A Prefeitura assinou convênio com o governo federal para o repasse de R$ 390 milhões destinados ao empreendimento.

Fonte: O Hoje


27 de julho de 2014

Gigantes do Samba em Goiânia - Atlanta Music Hall


Data: 04/10/2014
Local: Atlanta Music Hall
Site: www.atlanta.art.br

SPC e Raça Negra anunciam projeto Gigantes do Samba, em que vão excursionar juntas e realizar pelo menos 30 shows até o fim de 2014. Integrantes dividirão o mesmo palco em show que deve ter três horas e setlist entre 40 e 50 músicas.

Ingressos:

Em Breve

Pontos de Venda:

- Boungaville
- Stand 3º Piso
- Rival Calçados
- Tkts Express Contato: (62) 8406-4949

- Ingressos On line
www.bilheteriadigital.com/atlanta


Lixo: Convênio com Estado é suspenso


Problema em conta fez depósito do governo para compra de caminhões ser devolvido

A aquisição de 23 caminhões compactadores para a coleta de lixo de Goiânia por um convênio entre Prefeitura e Estado está suspensa pelo menos até o fim das eleições deste ano. Pelo acordo, o Estado cederia R$ 5,66 milhões ao Paço em duas parcelas, sendo a primeira até o dia 5 de julho e a segunda um mês depois, para auxiliar no serviço de coleta de lixo. A primeira parcela chegou a ser depositada em uma conta da Prefeitura no Banco do Brasil, mas teve o valor estornado. Após isso, encerrou-se o prazo para o repasse de valores pelo Estado em virtude da legislação eleitoral.

De acordo com o secretário da Casa Civil, José Carlos Siqueira, a primeira parcela de cerca de R$ 2,8 milhões foi depositada, primeiramente, no dia 3 de julho e estornada. Tentou-se o novo depósito no dia 4 e novamente ocorreu o estorno. Como o prazo final para o repasse da valor, de acordo com a lei eleitoral, era no dia 5 de julho, o Estado se recusou a fazer novo depósito, já que o governador Marconi Perillo (PSDB) tenta a reeleição. Para Siqueira, o período eleitoral é válido até a posse do governador eleito e, só então, seria possível realizar o convênio, ou seja, só em 2015.

No entanto, o diretor do Tesouro Municipal, Paulo Roberto Carrion, entende que um dia após as eleições de outubro o depósito poderá ser realizado. De acordo com Carrion, a conta do Banco do Brasil foi aberta em maio pelo Paço justamente em virtude do convênio para a aquisição dos caminhões compactadores. O acordo havia sido anunciado em abril, quando a capital vivia o auge da crise pela falta da coleta de lixo, em função da menor quantidade de caminhões atuando no serviço. Mas desde que a conta bancária foi criada não houve movimentação financeira.

Como a assinatura do acordo se deu no dia 30 de junho, entre o prefeito Paulo Garcia e o secretário Siqueira, a tentativa dos depósitos nos dias 3 e 4 de julho não se deu porque a conta apresentou inconformidade, como se estivesse suspensa, já que não havia movimentação financeira. No dia 7 de julho, a segunda-feira posterior aos depósitos, a Prefeitura contatou o Estado sobre o problema, mas a resposta foi a de que não poderia mais repassar o dinheiro, já que a legislação eleitoral proibiria. A Prefeitura alega que, assim, terá de esperar o fim do período eleitoral para comprar os caminhões.

A HL Locadora seria a empresa responsável por vender os caminhões compactadores à Prefeitura e condicionou o repasse da primeira parcela do pagamento com a entrega dos veículos. Assim mesmo, para que os caminhões pudessem atuar haveria um tempo mínimo para isso, que seria de 30 dias. Ou seja, os caminhões seriam entregues, no mínimo, em agosto deste ano, quando o segundo repasse seria efetuado. Agora, se o repasse estadual ocorrer em outubro, os novos caminhões só estariam à disposição no mês de novembro. Pelo acordo, a Prefeitura daria uma compensação de R$ 200 mil.

ATRASOS

Carrion, em contrapartida, afirma que a suspensão do convênio não deve atrapalhar a coleta de lixo em Goiânia, já que os contratos de aluguel dos caminhões com a empresa HL Locadora vão continuar em vigor. Os veículos adquiridos, mais novos, iriam substituir os mais antigos, alugados. Na edição de ontem, O POPULAR mostrou que a população goianiense voltou a conviver com os atrasos na coleta de lixo em função dos constantes estragos nos veículos alugados pela Prefeitura. Desta forma, boa parte da frota passaria mais tempo na oficina mecânica e isso ocorreria porque os caminhões estavam sobrecarregados.

Os veículos alugados, ainda de acordo com a reportagem da edição de ontem, foram fabricados de 2011 para cá, mas estragam constantemente em especial na embreagem e sistema de suspensão. Caminhões mais novos, em tese, poderiam ter maior durabilidade e melhor tempo de recuperação. A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), por outro lado, nega que os atrasos na coleta estejam resultando em acúmulo de lixo na capital. A companhia afirma que todos os dias tem coletado uma média de 1.300 toneladas por dia, que é o número comum na cidade. Na edição de ontem, O POPULAR mostrou diversos locais com lixos acumulados na capital.

Em relação ao conserto dos caminhões, a Comurg também informa que não há um problema. Segundo a companhia, a entrega das peças pedidas para os reparos ocorre de acordo com a disponibilidade do mercado. A demora no conserto dos caminhões também seguiria o ritmo natural das oficinas mecânicas, dependendo da complexidade do problema que o veículo possui.

15 novos caminhões devem começar a rodar

A Comurg deve receber até 15 novos caminhões no fim da próxima semana, sendo 10 deles garantidos, por um contrato de empréstimo de 3 anos com a MT Locadora, em que os veículos passam a ser da Prefeitura após este período.

Neste contrato, o Paço adquiriu 27 caminhões que terão entregas escalonadas. Os primeiros dez, a chegar no final da semana, serão trazidos de Santa Bárbara de Goiás, a 42 quilômetros de Goiânia. Os motoristas vão até o interior na próxima semana, para treinamento. Já em relação aos 40 caminhões adquiridos via licitação realizada no ano passado e que estão no pátio da Planalto Indústria Mecânica, a Comurg informa que os primeiros veículos devem ser entregues também no final da próxima semana.

A companhia diz que no máximo 5 caminhões serão entregues por já estarem prontos depois de testados e remodelados. O POPULAR apurou, no entanto, que a entrega escalonada desses caminhões ocorre por um acordo financeiro entre as partes.

Fonte: Jornal O Popular (Vandré Abreu)
Foto: Ricardo Rafael